/ A Importância da Auditoria

20/02/2017 às 14:45

A Importância da Auditoria

 Nos dias atuais se multiplicam-se as denúncias de corrupção envolvendo o atual governo federal e seus partidos da base aliada. Apesar da doença da corrupção ser algo impregnado desde os tempos do império e exercido por diversos outros governos anteriores, se observa-se que as denúncias muitas vezes são feitas sem que haja provas concretas. Neste contexto, as CPI´S (Comissão Parlamentar de Inquérito), vêm exercendo suas funções de investigação.

Uma ferramenta importante que não está sendo bem aproveitada nos processos de investigação é o trabalho da auditoria. A Auditoria Interna dos Correios, por exemplo, já identificaram em contratos (em torno de R$ 7 bilhões de reais), pelos menos 525 irregularidades consideradas graves, conforme notícia veiculada no jornal O Globo em seu primeiro caderno no dia 28/08/2005.

Estes pareceres são extremamente verídicos e exatos, porque são elaborados por técnicos competentes. A confiança neste trabalho se dá-se ao destaque dos mesmos, que têm em suas análises e avaliações fundamentadas em documentos comprobatórios e fatos reais.

A auditoria é o instrumento através do qual uma organização, seja ela privada ou pública, consegue, através de análises das demonstrações financeiras e patrimoniais, revisarem os procedimentos operacionais, avaliar os documentos como livros, registros e balanços e apresentar pareceres e/ou relatórios confiáveis sobre a situação da empresa, determinando possíveis ações e/ou novos procedimentos operacionais.

Existem dois segmentos na auditoria que são a interna e a externa. A primeira tem como base fundamental o assessoramento da administração empresarial para desempenho, fornecendo-lhe análises, avaliações, recomendações sobre as atividades auditadas. A externa examina as demonstrações financeiras ou contábeis, apresenta as verdades da situação da empresa. Os dois segmentos trabalham com documentos comprobatórios, aplicam técnicas de verificação, emitem as informações fiéis da situação da empresa.

Para o fisco, o auditor interno torna-se um colaborador importante, pois auxilia indiretamente nas aplicações das leis fiscais. A auditoria interna é uma atividade regulada no âmbito da liberdade de decisão do regime interno das empresas as atribuições do fiscal estarão definidas no manual interno da empresa. Não há também a necessidade expressa da formação em curso superior de Ciências Contábeis, mas conhecimento das operações da empresa e especificamente ao objeto que será auditado.

A auditoria externa atende aos interesses dos acionistas e credores, mas não há influência da administração no desenvolvimento dos trabalhos. Sendo assim, os auditores independentes não devem ter ligações com os gestores ou administradores da empresa.

Este segmento é regulado pelo CVM (Comissão de Valores Mobiliários), seus deveres são  verificar a veracidade dos relatórios apresentados como os demonstrativos contábeis e apresentar pareceres sobre a situação real da empresa. O não-cumprimento das normas pode acarretar sanções. O sigilo é extremamente respeitado tanto na auditoria interna como na externa. Para a auditoria externa, é exigida a formação superior em Ciências Contábeis e conhecimentos de economia, administração, informática entre outros.

Desta forma, percebemos a importância dos dois segmentos, através de busca clara de melhoria e eficiência das organizações e a confirmação, da fidelidade das informações apresentadas. Conclui-se que essas atividades assumem extrema importância para processo de transparência das instituições públicas e/ou privadas. Assim, se nossos órgãos públicos e/ou privados mantiverem-se nas atividades permanentes de auditoria internas e externas e promoverem o acesso ao publico às informações geradas por elas, talvez não houvesse tantos desvios de condutas e corrupção no país.

Quer obter mais informações sobre esse tema? Entre em contato conosco.

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail